Rinite Alérgica: um resfriado que não passa

Rinite Alérgica: um resfriado que não passa

Com a chegada da estação fria, as viroses respiratórias se multiplicam, perturbando a vida dos pacientes. Porém, se o resfriado não passa nunca deve-se pensar nas rinites, principalmente, na alérgica.

Uma dica para se saber se um indivíduo tem rinite alérgica é responder às seguintes perguntas: Você apresenta vários espirros em sucessão, particularmente pela manhã, seu nariz escorre ou fica sempre obstruído, coceira no nariz, olhos e céu da boca, problemas de olfato, dores de cabeça, junto com os demais sintomas?

Bem, se positivo, a chance é muito grande de você ser portador de rinite alérgica.

Rinite nada mais é do que uma inflamação do revestimento interno do nariz (mucosa), aparecendo em uma de cada sete pessoas, tanto adulto quanto criança.

As causas da rinite são variadas, desde viroses respiratórias (resfriados), produtos químicos irritantes até medicamentos e alergia. Os sintomas são parecidos para todos os tipos de rinite, simulando resfriado crônico ou sinusite com dor de cabeça eterna.

Entre os tipos mais freqüentes de rinite, vamos destacar três: medicamentosa – por uso continuado de remédios no nariz, vasomotora – poluição nas grandes cidades e, alérgica – poeiras domésticas (ácaros, pelos de animais, etc.) e poluição nos ambientes.

A rinite alérgica não é contagiosa, isto é, não passa de pessoa à pessoa pelo convívio social ou íntimo, porém, os pais podem transmitir geneticamente para seus filhos. Por isso, pais e filhos têm sintomas semelhantes.

O portador de rinite alérgica piora dos sintomas ou recidiva da doença em contato com as substâncias que causam hipersensibilidade, como os agentes irritantes da atmosfera, substâncias químicas, produtos de limpeza, fumaça de cigarro, inseticidas, tintas, combustíveis e até perfumes.

É bom que se diga, de início, que a rinite alérgica não tem cura, mas tem tratamento, permitindo uma vida normal do portador, sem a praga do uso das “bombinhas” no nariz ou a necessidade constante de lenços descartáveis. Existem sofredores crônicos de rinite que não dispensam a presença diurna dos descongestionantes nasais, tornando-se verdadeiros dependentes “psíquicos” da droga, a ponto de acordar angustiado durante à noite se a bombinha não estiver ao seu alcance.

Porém, o que eles não sabem, é que tais medicamentos, se usados em excesso, pioram ou acarretam rinite irritativa ou medicamentosa. Assim, causam rinite, ao invés de curá-la.

Diante disso, o ideal é a prevenção, procurando evitar o contato com as substâncias que desencadeiam a crise, como a diminuição da presença de agentes alérgicos na casa. Assim, pequenas medidas trazem grandes benefícios, como evitar poeira doméstica e os ácaros, agentes e substâncias irritantes, etc..

Para evitar poeira doméstica deve-se retirar tudo o que possa juntar poeiras ou ácaros, como tapetes, carpetes, cortinas grossas, livros, etc.. Os pisos lisos são mais fáceis de limpar e não abrigam os ácaros, assim como, os tapetes finos e pequenos ou cortinas leves, que podem ser lavadas.

Os ambientes devem ser arejados, para a entrada do sol o maior tempo possível, passando todos os dias um pano úmido sobre os móveis e chão.

Como o quarto é local mais importante da casa para o alérgico, pelo tempo no local (oito horas/dia) e a maior contaminação de ácaros, o colchão deve ser forrado para impedir a passagem de poeira ou usar o plástico, assim como os travesseiros devem ser de poliéster.

Os cobertores de lã merecem ser substituídos por edredões, que não sejam de penas, lavando-os a cada dez dias. Da mesma forma, as roupas de lã precisam ser guardadas em sacos plásticos, dentro de armários.

Nos quartos de criança, os bichos de pelúcia, que armazenam muita poeira, não devem permanecer no local ou deverão ser lavados a cada dez dias. Ainda, os animais de estimação devem ficar fora do domicílio ou, pelo menos, do interior dos quartos, eliminando toda umidade (vazamentos), assim como mofos e manchas.

A poeira da casa é uma mistura de bactérias, fungos, ácaros, etc., que se alimentam de partículas de comida, de tecidos e de pele descamada de humanos e animais. O ácaro é o principal agente da poeira, tendo o aspecto de aranha (inseto de oito patas), se alimentando de particuIas de comida e pele humana, produz resíduos alergizantes e gosta de ambientes quentes e úmidos.

Porém, não sobrevive em lugares secos e ensolarados. Também vive em lençóis, tapetes, colchões, roupas, armários e bancos de automóveis, onde as condições são favoráveis. Infelizmente, os inseticidas normais não matam tais insetos.

Finalmente, a obstrução nasal da rinite pode causar problemas de sono e roncos, desalinhamento dos dentes, otite média crônica, voz anasalada e sinusite. Daí a importância da identificação do processo, para posterior tratamento e profilaxia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *