Manchas na pele: o que fazer?

Manchas na pele: o que fazer?

Existe uma grande variedade de manchas na pele causadas por alteração de um pigmento – melanina (vitiligo), por infecções (vírus, bacterias e fungos), distúrbios hormonais (cloasma), vasculares (púrpuras), tumorais (melanonas) e até por influência do sol (sardas). De todas essas manchas, as mais freqüente são as micoses superficiais de pele, como a pitiríase versicolor e as tinhas.

A pitiríase se caracteriza por manchas brancas ou café com leite, no pescoço, membros superiores e tronco, discretamente pruriginosas. O povo faz o diagnóstico de “bichas” (lombrigas) ou problemas de fígado, mas, é causada por um fungo de nome estranho – Malassezia furfur.

Aparece ou piora no verão sendo o contágio facilitado pelo calor, suor, sebo, e predisposição individual. O fungo vive na pele e quando penetra na camada córnea provoca mudanças na cor (versicolor) ou hipocromia, assim como, descamações. O quadro é benigno, mas, causa grande desconforto pelo problema estético.

O diagnóstico pode ser confirmado, colando uma fita adesiva na mancha e reconhecendo o fungo no microscópio. O tratamento é feito com antimicóticos locais ou por via oral, como o cetoconazil, itraconazol, etc.. Apesar do tratamento e da eliminação do fungo, a mancha pode persistir por longo período.

As tinhas ocorrem no cabelo, corpo, dobras, pés e unhas. São causadas por fungos conhecidos por dermatófitos, sendo descritas 40 espécies, porém, somente 11 infectam o homem. Na cabeça (tinea capitis) provoca uma área sem cabelos (tonsurante) bem definida, com vermelhidão, descamação e restos de cabelos comprometidos.

É causada por fungos dos gêneros Trichophyton e Microsporum. A forma tonsurante acomete somente crianças, sendo extremamente contagiosa, principalmente em ambientes confinados (creches, instituições. etc.).

Na puberdade, a cura é espontânea por causa de fatores horrnonais, porém, nos adultos e idosos, deve-se pesquisar a queda da resistência. No corpo, as manchas são avermelhadas com centro claro e borda alta, ocorrendo no tronco e membros. É freqüente nas crianças, quando pode atingir a face e as mãos, sendo confundida com alergia, pois é muito pruriginosa.

A tinha das dobras (tineas cruris) localiza-se na região inguinal, períneo e dobra perineal, sob a forma de placa avermelhada, descamativa e com sensação de queimação ou coceiras. Nos pés, a localização mais comum é entre os dedos, com descamação, erosão e maceração, por assentamento de bactérias.

É muito comum devido ao uso de calçados fechados (tênis) e utilização de sanitários públicos (clubes e academias de esporte). Na superfície plantar do pé (côncava) pode aparecer nas formas escamosa e disidrosiforme, com formação de bolhas, altamente pruriginosas. O povo confunde facilmente com ácido úrico ou alergia.

Nas unhas, recebe o nome de onicomicoses. O diagnóstico das tinhas é feito com exame micológico direto do cabelo, das lesões do corpo, dobras, etc.. Na dúvida faz-se cultura e isolamento do fungo. No tratamento das micoses de pele é fundamental os cuidados gerais de higiene, mantendo a área seca após o banho e usando roupas leves e soltas. Os pés devem ser secos, limpos e arejados, evitando calçados de sola de borracha e fechados (preferência por sandálias).

Na tinha do cabelo o tratamento sistêmico (via oral) é a única terapêutica disponível, porém, nas demais formas de tinha, pode-se associar antifúngicos locais, como cetoconazol, clotrimazol, itraconazol, isoconazol, ciclopirox olamina e terbinafina. O importante é o prazo, que vária de 7 a 30 dias, conforme a localização. Ainda, não interromper o tratamento logo nos primeiros sinais de desaparecimento das lesões.

Não esquecer que as manchas de pele por micose tornam-se mais nítidas ou exuberantes no verão (calor) e desaparecem ou ficam latentes no inverno.

Sempre é bom lembrar que as saunas, piscinas, academias, etc., são locais de contaminação em potencial, devendo-se exigir exames médicos dos frequentadores e isolamento dos portadores. Também, não confundir com as “bichas” ou problemas hepáticos, que não dão manchas na pele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *